como investir no tesouro direto

Antes de saber como investir no tesouro direto é bom ter uma noção básica do que são os títulos públicos, já que cada um deles possui uma maneira diferente de negociação e pagamento.

 

Basicamente títulos públicos são ativos de Renda Fixa. Isso quer dizer que quando você compra um desses títulos já saberá quanto receberá no futuro, na hora que for resgatar.

 

Por serem de renda fixa não significam que não possuam nenhum tipo de risco. Porém essa possibilidade é bem menor do que com outros tipos de títulos.

 

Podemos dividir os títulos públicos em duas categorias principais:

 

  • Pós-fixados:

 

O investidor recebe uma remuneração que será baseada no valor de um indexador, por exemplo o IPCA que mede a inflação.

 

  • Pré-fixados:

 

O investidor sabe exatamente quanto irá receber se mantiver seu investimento até o final do prazo de aplicação.

 

Títulos Públicos mais famosos

tesouro direto

Existem vários tipos de títulos, e para não deixar a cabeça dos investidores novatos muito confusa, separamos abaixo os mais conhecidos e que costumam ser mais negociados nos investimentos de Tesouro Direto.

 

  • LFT (Letras Financeiras do Tesouro) – Tesouro SELIC:

Pós-fixado tendo o valor corrigido pela variação da taxa básica de juros, a SELIC. É considerado um investimento conservador. As principais vantagens desse título são a variação de acordo com a SELIC e o rendimento a curto prazo. Porém, no cenário em que a inflação chegue perto da taxa SELIC o rendimento real pode ser bem baixo.

 

  • LTN (Letras do Tesouro Nacional) – Tesouro Prefixado:

Pré-fixado, assim o investidor saberá exatamente quanto receberá se mantiver o investimento até o final. As principais vantagens são: saber exatamente quanto irá receber, recebimento um pouco maior que a taxa de juros, geração de ganhos no curto prazo, caso aconteça da taxa de juros cair. A desvantagem é que se os juros subirem e você precisar resgatar o valor em curto prazo, perderá dinheiro.

 

  • NTN-F (Notas do Tesouro Nacional Série F) – Tesouro Prefixado com Juros Semestrais:

Parecido com a LTN, com a diferença de pagar juros a períodos. As principais vantagens é poder receber seus juros semestralmente e também existe geração de ganhos no curto prazo de acordo com a taxa de juros. A principal desvantagem é poder perder dinheiro em um resgate a curto prazo.

 

  • NTN-B (Notas do Tesouro Nacional Série B) – Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais:

Pós-fixado com indexação na inflação. Ou seja, o valor do título é atualizado através do IPCA. Os juros são distribuídos periodicamente, assim quem investe em NTN-B recebe dividendos semestralmente. As principais vantagens são a rentabilidade real (ganhos acima da inflação), é interessante para acúmulo de patrimônio a longo prazo e bom para receber renda corrigida. Porém, é um tipo de investimento que oscila muito no curto prazo.

 

  • NTN-B Principal – Tesouro IPCA+:

Parecido com o NTN-B porém sem o pagamento de juros semestrais. Os valores só são recebidos no final do período de investimento, ou se houver uma venda antecipada. As vantagens e desvantagens são as mesmas do NTN-B, com a diferença de que não haverão recebimentos periódicos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s